AgroAmbiente

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Análise de Solo

ANÁLISE DE SOLO


 

 

POR QUE FAZER ANÁLISE DE SOLO? 

A realização da análise de solo é importante, pois somente os dados obtidos a campo através da observação visual não são suficientes para se determinar possíveis problemas nutricionais das plantas. 

Deve-se fazer a análise de solo como parte de um planejamento da instalação das culturas agrícolas ou florestais. Serve como prevenção para futuros problemas nutricionais que podem facilitar o aparecimento de pragas e doenças.  

Com a realização da análise pode-se chegar a aumentar a lucratividade, pois haverá um aumento da produção e da resistência da planta, diminuindo os gastos com agrotóxicos (inseticidas, herbicidas e fungicidas). Em conseqüência disso, haverá uma melhor qualidade de vida e menor impacto ambiental. 

A análise de solo é um instrumento que pode auxiliar o produtor rural a aumentar a lucratividade da exploração agrícola ou florestal e a acompanhar as mudanças da fertilidade do solo. Deve ser utilizada, juntamente com outras informações, como um guia para as recomendações de uso de calcário e adubos (minerais e orgânicos). 

A análise de solos apresenta duas funções:

  • Indicar os níveis de nutrientes no solo, possibilitando o desenvolvimento de um programa de calagem e adubação;
  • Pode ser usada regularmente para monitorar e avaliar as mudanças dos nutrientes no solo.

 

 

TIPOS DE ANÁLISES DE SOLOS MAIS UTILIZADAS PELO PRODUTOR RURAL

 

As principais análises existentes para avaliação das propriedades do solo são: química e granulométrica. É importante que se realize ambas em conjunto, pois assim pode-se relacionar os teores de nutrientes e acidez com o potencial de uso e manejo do solo. Com o resultado das duas análises será possível elaborar um diagnóstico mais preciso da fertilidade. 

1) Análise química: Avalia a fertilidade química do solo, determinando a disponibilidade de nutrientes para as plantas, o pH e a matéria orgânica do mesmo. 

2) Análise granulométrica: Determina a proporção de constituintes do solo (areia, silte, argila) que influenciam no seu correto uso e manejo, indicando: risco de erosão, disponibilidade de água para as plantas, o uso econômico de adubos, a mecanização adequada e qual a melhor cultura a ser implantada. Serve também como complemento da análise química, garantindo maior segurança para o diagnóstico. 

 

VANTAGENS DA ANÁLISE DE SOLOS

  • São análises rápidas, de baixo custo e que podem ser feitas em qualquer época do ano, de preferência de três a seis meses antes do plantio, geralmente com um intervalo de 2 a 4 anos entre as análises (dependendo do tipo da cultura e do solo);
  • Os resultados podem ser interpretados por Engenheiros Agrônomos ou Florestais ou Zootecnistas;
  • Pode-se elaborar um programa de adubação e calagem, pois é possível determinar as quantidades de nutrientes que o solo será capaz de fornecer às plantas e qual a quantidade de adubos e calcário que deverá ser aplicada, visando oferecer as melhores condições de produção e de qualidade às culturas (EMBRAPA).

→ Home

 

 
Banner